Últimas Notícias:

Negócios do Sukhoi Superjet 100


 

Kom Airlines assina carta de intenção para seis SSJ100

 

A nova companhia aérea tailandesa Kom Airlines assinou uma Carta de Intenção (LOI) para seis aeronaves Sukhoi Superjet 100 (SSJ100). Denis Manturov, ministro da Indústria e Comércio da Rússia, em visita a Tailândia, assinou o acordo na passada semana.

Caso a encomenda seja confirmada durante o primeiro semestre de 2019, a companhia poderá receber os seus aviões até ao final doa ano.

Desde 2016 estão ao serviço da Força Aérea Tailandesa três SSJ100s em configurações VIP.

O modelo regional Sukhoi SuperJet 100 está no mercado há cerca de 10 anos e tem se destacado sobretudo pelo preço de catálogo (cerca de 35 milhões de euros por unidade) e por custos de manutenção bastante baixos.

Adria recebe primeiro Sukhoi Superjet 100 em Abril de 2019

Já a companhia eslovena Adria Airways vai receber o primeiro Sukhoi Superjet 100 (SSJ100) no próximo mês de Abril de 2019.

Recentemente a Adria Airways e a construtora russa de aeronaves Sukhoi Civil Aircraft Company (SCAC) assinaram um Memorando de Entendimento para fornecimento de 15 aviões SSJ100, um negócio que inclui ainda a instalação de uma oficina de Manutenção e Reparação (MRO) de aviões da Sukhoi no Aeroporto de Liubliana, na capital da Eslovénia.

Os novos aviões da Adria serão utilizados nas ligações para cidades europeias e em operações ACMI (fretamentos a outras companhias com tripulação e manutenção).

A instalação de uma oficina de Manutenção e Reparação, terá como objectivo, num futuro próximo, ser a base de técnica de manutenção para os modelos da Sukhoi que operam na Europa Central e Ocidental.

Em declarações, Holger Kowarsch, presidente executivo da Adria, referiu que a compra dos SSJ100, vem ao encontro da estratégia que a companhia pretende implementar nos próximos anos.

O modelo foi escolhido não só pela sua dimensão e capacidade de até 95 a 100 passageiros, como também devido ao seu desempenho já testados em diversas companhias aéreas, como é o caso da CityJet e da belga Brussels Airlines.