Últimas Notícias:

Grupo Volga-Dnepr suspende voos dos seus oito AN124


O site theloadstar.com está a avançar que o Grupo Volga-Dnepr “colocou a segurança em primeiro lugar” e tomou o que chamou de decisão “responsável” em aterrar todos os seus AN-124s, após um recente incidente em Novosibirsk, quando uma das suas aeronaves realizou uma de emergência após uma falha de motor.

A transportadora enviou hoje uma carta às autoridades russas de aviação para notificá-las sobre a decisão de suspender imediatamente as suas oito aeronaves operacionais.

Esta é uma decisão bem pensada. Queremos ser preventivos e demonstrar que somos uma companhia aérea responsável, onde a segurança vem em primeiro lugar ”, disse Konstantin Vekshin, diretor comercial. “Ainda não recebemos notificações oficiais ou diretrizes de serviço e não há conclusões preliminares, portanto, temos que suspender toda a frota de AN-124 com efeito imediato.

“Cumprimos rigorosamente a nossa política de segurança, regulamentos externos e interesse público.” O Volga-Dnepr está a conversar com as autoridades russas da aviação, além de iniciar uma investigação interna e independente sobre o recente incidente. Vekshin disse: “Queremos continuar a ser o operador mais seguro do mundo; parar a frota é do melhor interesse da sociedade. ”

Neste momento a Volga-Dnepr está a negociar com os seus clientes a forma de reorganizar os seus voos, uma vez que toda as aeronaves encontravam-se com operações de voos programadas.

O transporte de carga será feito através dos seus Boeings 747 cargueiros. “Não nos importamos com quanta receita perderemos – nem é relevante agora. A segurança é mais importante do que quaisquer benefícios potenciais da alta temporada.”

Foto: Gleb Osokin

De referir que a tripulação realizou uma aterragem de emergência, tendo conseguido levar o gigante em segurança de volta ao aeroporto de Novosibirsk, na Rússia, mas os danos causados pelas peças ejectadas pelo motor, que ultrapassaram a fuselagem, deixando o o AN124 sem reverse, spoilers e travões.

Ao aterrar a aeronave acabou por ultrapassar 300 metros após o final da pista, tendo apenas existido danos materiais.