Últimas Notícias:

Boeing recomenda paragem de 128 aviões B777


 

A Boeing recomendou hoje a paragem de 128 aviões do modelo B777 que se encontram em serviço ou armazenados, um dia após um incêndio no motor de um aparelho em pleno voo, no estado do Colorado.

“A Boeing está a acompanhar activamente os eventos recentes relacionados com o voo 328 da United Airlines. Enquanto a investigação do NTSB está a decorrer, recomendamos suspender as operações dos 69 777s em serviço e 59 em armazenamento com motores Pratt & Whitney 4000-112 até que a FAA identifique o protocolo de inspecção apropriado.

A Boeing apoia a decisão da Japan Civil Aviation Bureau e a ação da FAA de suspender as operações de aeronaves 777 equipadas com motores Pratt & Whitney 4000-112. Estamos a trabalhar com estes reguladores à medida que eles agem enquanto os aviões estão no solo e outras inspecções são conduzidas pela Pratt & Whitney.

As atualizações serão fornecidas conforme mais informações estiverem disponíveis.”

De recordar que, no sábado, um Boeing 777-220 da United Airlines, que descolou de Denver, Colorado, com destino a Honolulu, no Hawai, com 231 passageiros e 10 membros da tripulação a bordo, foi forçado a regressar ao aeroporto, depois de o motor direito se incendiar em pleno voo.

O avião aterrou em segurança no aeroporto de Denver e nenhum dos ocupantes ficou ferido.

No domingo, o regulador norte-americano para a aviação exigiu inspeções urgentes aos aviões Boeing 777 equipados com o mesmo tipo de motor.

“Depois de consultar a minha equipa de peritos em segurança aérea relativamente à falha de motor de ontem [sábado] num avião Boeing 777 em Denver, pedi-lhes que emitissem uma diretiva de navegabilidade de emergência que exija inspeções imediatas ou minuciosas de aviões Boeing 777 equipados com alguns motores Pratt & Whitney PW4000”, escreveu um responsável da Administração para a Aviação Federal (FAA, na sigla em inglês), Steve Dickson, na rede social Twitter.

“Isto significará provavelmente que alguns aviões serão retirados de serviço”, acrescentou.

O responsável da FAA disse que uma análise preliminar dos dados de segurança revelou a necessidade de verificações adicionais do tipo de motor afetado.

“Com base em informações iniciais, concluímos que o intervalo entre inspeções deve ser encurtado para as pás ocas do ventilador, que são exclusivas deste tipo de motor, utilizadas apenas nos Boeing 777”, explicou o funcionário.

De referiri que a United Airlines decidiu retirar do ar 24 aparelhos Boeing 777, a Japan Airlines (JAL) e a All Nippon Airways (ANA) anunciaram igualmente a imobilização de 13 e de 19 aviões deste tipo, respetivamente.