Últimas Notícias:

Lufthansa retira seis A380, sete A340-600, cinco 747-400 e 11 A320 e encerra a Germanwings

Os seis A380 já estavam programados para venda à Airbus em 2022. A decisão de retirar gradualmente sete A340-600, três A340-300 e cinco Boeing 747-400 foi tomada com base nas desvantagens ambientais e económicas deste tipos de aeronaves.

Com essa decisão, a Lufthansa vai reduzir a sua capacidade nos seus hubs de Frankfurt e Munique e enquadram-se nas primeiras medidas de reestruturação devido à pandemia.

Com o setor da aviação a ser um dos mais afetados pela pandemia de covid-19, o grupo alemão Lufthansa anuncia medidas de reestruturação da empresa para enfrentar esta crise. Em comunicado, o grupo indica que “o downsizing inevitável das operações de voo será implementado de uma forma socialmente responsável”. A Lufthansa afirma que não espera que a indústria da aviação regresse aos níveis de antes da crise de coronavírus depressa. “De acordo com a avaliação, serão precisos meses até que as restrições de viagens globais sejam completamente levantadas e anos até que a procura por viagens aéreas regressem aos valores pré-crise”, indica a Lufthansa.

Assim, a empresa anuncia algumas medidas, que afetarão quase todas as operações de voo do grupo Lufthansa. O portefólio de companhias grupo alemão inclui a Lufthansa, as low-cost Germanwings e Eurowings, e as Austrian Airlines, Brussel Airlines e Swiss International Air Lines.
Uma das medidas anunciadas passa por descontinuar as operações da Germanwings, uma das companhias low-cost do grupo. De referir que já antes desta crise era objetivo da Lufhansa a junção da Germanwings com a Eurowings. Agora “o objetivo de implementação da Eurowings na junção das operações de voo numa única unidade, definido antes da crise, será acelerado”. A low-cost Eurowings passará ainda por outras mudanças, nomeadamente pela redução do número de aeronaves.
No segmento dos voos de curta duração, o grupo arrancará com o phase-out de dez aviões Airbus A320. Também o segmento de voos de longo curso da Eurowings será reduzido, indica a Lufthansa.
No caso da Austrian Airlines e da Brussel Airlines, o grupo de aviação indica que “os programas de reestruturação que já tinham sido iniciados foram intensificados devido à crise de coronavírus”. Algumas das medidas passam também pela redução da frota.
Na Swiss Airlines, também haverá um ajustamento da frota através do atraso da entrega de novas aeronaves.
A Lufthansa indica que estas medidas foram tomadas para “oferecer às pessoas a oportunidade de continuar empregadas no grupo Lufthansa”, avançando que já estão a ser feitos planos para reuniões com sindicatos e comissões de trabalhadores.