Últimas Notícias:

Iberia vai ser a primeira companhia a operar com o Airbus A321XLR


A Iberia vai ser a primeira companhia aérea a voar com o Airbus A321XLR, de recordar que inicialmente estava programado que fosse a Aer Lingus.

Em junho de 2019, a Airbus lançou formalmente o Airbus A321XLR, que será a aeronave de fuselagem estreita de maior alcance do mundo.

Esta aeronave é baseada na família de aeronaves Airbus A321, mas apresenta melhorias de alcance ainda mais incrementais em relação ao A321neo e A321LR (que já têm mais alcance que o A321ceo).

As companhias aéreas encomendaram centenas destas aeronaves, na procura de aeronaves de longo alcance e baixa capacidade, que possam abrir todos os tipos de novos mercados.

Espera-se que o primeiro A321XLR seja entregue às companhias aéreas no terceiro trimestre de 2024.

O cliente lançador do avião é o International Airlines Group (IAG), controladora da British Airways, Iberia, Aer Lingus, etc. A empresa encomendou 14 unidades, sendo oito destinados à Iberia e seis destinados à Aer Lingus. 

Se os prazos se mantiverem, a Iberia deverá ter em operação o A321XLR  antes do final de 2024, com as primeiras rotas já anunciadas. Presumivelmente, após alguns voos de familiarização da tripulação, a aeronave irá realizar o seu voo de longo curso à partida de Madrid (MAD) e Boston (BOS) e Washington (IAD). 

Como referido acima, a Aer Lingus deveria ser a primeira companhia aérea a começar a voar com o Airbus A321XLR, então o que aconteceu?

A Aer Lingus tem tido uma disputa salarial com os seus pilotos, uma vez que a administração e o sindicato não conseguiram chegar a um acordo sobre novas taxas salariais.

Os pilotos da Aer Lingus procuram aumentos salariais de mais de 20%, para refletir a inflação ao longo dos anos, além dos salários das companhias aéreas concorrentes. Enquanto isso, a administração não está disposta a ir além de um aumento de 8,5%.

A administração ameaçou que se os pilotos não concordassem com um acordo, a companhia aérea adiaria as entregas do Airbus A321XLR para a companhia (e, por sua vez, reduziria as oportunidades de voo para os pilotos). As duas partes tinham até 29 de abril de 2024 para chegar a um acordo, mas não o conseguiram.

O IAG há muito adota uma abordagem implacável nas negociações com os funcionários e como explica um porta-voz:

“Infelizmente, a Aer Lingus não foi capaz de dar ao IAG as garantias de estrutura de custos necessárias para este investimento e, portanto, o A321 XLR inaugural – originalmente planeado para a Aer Lingus – será alocado em outra parte do grupo.”

De relembrar que, a Aer Lingus já opera na sua frota com oito Airbus A321LR.