Últimas Notícias:

Embraer vende fábricas em Évora à empresa espanhola Aernnova


 

A fabricante de aeronaves Embraer vendeu duas subsidiárias em Portugal, localizadas em Évora, à espanhola Aernnova Aerospace, por cerca de 151 milhões de euros, anunciou hoje a empresa brasileira.

O acordo, confirmado num comunicado emitido aos acionistas da Embraer, contempla a venda de todas as ações das subsidiárias Embraer Portugal Estruturas Metálicas (EEM) e Embraer Portugal Estruturas em Compósitos (EEC) à Aernnova, pelo valor de 172 milhões de dólares (151,2 milhões de euros), sujeito a ajustes até à sua conclusão.

As duas instalações em Évora empregam cerca de 500 pessoas.

Segundo a Embraer, o “acordo tem como objetivo aumentar a capacidade de produção dos centros de excelência, cuja operação tem uma importância estratégica para os produtos atuais e futuros”.

Com 37.100 e 31.800 metros quadrados, respetivamente, as instalações em Évora realizam atualmente a fabrico de aeroestruturas metálicas e de compósitos.

A fabricante brasileira destacou que nas duas fábricas são produzidos, entre outros, componentes para asas e estabilizadores verticais e horizontais para programas aeronáuticos da Embraer como os jatos executivos Praetor 500 e Praetor 600, as duas gerações da família de E-Jets de jatos comerciais e o jato multimissão KC-390 Millennium.

Segundo o acordo anunciado ao mercado, a Aernnova assumirá a operação das fábricas industriais em Évora, assegurando o fornecimento para produção atual de aeronaves Embraer.

A previsão é de que as atividades nas instalações industriais de Évora adicionarão cerca de 170 milhões de dólares (cerca de 150 milhões de euros) em receitas para a Aernnova.

Ao fim do acordo, as unidades industriais de Évora serão os maiores centros produtivos da Aernnova no mundo. A operação da empresa espanhola em Portugal também permitirá a assinatura de novos contratos, seja com a Embraer ou com outros fabricantes.

“Estamos satisfeitos em anunciar essa parceria com a Aernnova, uma fornecedora de renome mundial em aeroestruturas. O acordo permitirá a ampliação dos níveis de ocupação nas fábricas de Évora e a diversificação da base de clientes, trazendo novas oportunidades de negócios”, disse Francisco Gomes Neto, presidente e CEO da Embraer em comunicado ao mercado.

Ricardo Chocarro, CEO da Aernnova, acrescentou que “o acordo é mais um passo na estratégia de crescimento da Aernnova, que reforça ainda mais o status da companhia como uma líder global no design e na produção de aeroestruturas”.

O executivo também informou que pretende avançar ainda mais nas operações das instalações e estabelecer Évora como um modelo na produção de aeroestruturas, com o suporte técnico e comercial do Grupo Aernnova.

A conclusão da transação está sujeita a um conjunto de condições que as partes envolvidas esperam cumprir no primeiro trimestre de 2022.

A Embraer é fabricante e líder mundial de aeronaves comerciais com até 150 lugares e tem mais de 100 clientes em todo o mundo.

A empresa brasileira mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

Em Portugal, além dos parques industriais em Évora que estão a ser negociados também é acionista da OGMA – Indústria Aeronáutica de Portugal, com 65% do capital, em Alverca.