Últimas Notícias:

Ryanair suspende voos para Telavive porque aeroporto não abre o Terminal 1, mais barato


A Ryanair indicou hoje que apelou ao Aeroporto Internacional Ben Gurion para reabrir o Terminal 1 para permitir a retomada das viagens aéreas com tarifas baixas de/para Telavive.

A companhia, que retomou os voos diários para Telavive no passado dia 1 de fevereiro, foi forçada pelo Aeroporto Internacional Ben Gurion a operar no Terminal 3, mais caro, o que resultou em custos significativamente mais elevados e teria resultado em tarifas aéreas muito mais elevadas para os passageiros da Ryanair que viajavam para aquele aeroporto.

A Ryanair solicitou à entidade gestora do aeroporto que aplicasse as taxas de passageiros acordadas no Terminal 1, aos voos da companhia numa base temporária até reabrirem aquele terminal, mas o aeroporto recusou o pedido e insistiu que a Ryanair operasse através do Terminal 3.

Assim sendo, a Ryanair anunciou que suspendeu os voos de/para Telavive com efeitos a partir de terça-feira, 27 de fevereiro, e esses voos de baixa tarifa permanecerão suspensos até o Aeroporto Internacional Ben Gurion reabrir seu Terminal 1 de baixo custo.

O CEO da Ryanair DAC, Eddie Wilson, disse: “Trabalhamos arduamente com o governo israelita e o Aeroporto Internacional Ben Gurion para restabelecer os voos de baixa tarifa da Ryanair de/para Telavive no dia 1 de fevereiro passado. Ficámos profundamente dececionados com a recusa do Aeroporto Internacional Ben Gurion em reabrir o Terminal 1 de baixo custo, onde a Ryanair normalmente opera. Não nos importamos que o aeroporto nos obrigue a colocar voos da Ryanair através do Terminal 3 numa base provisória devido ao grande declínio no tráfego de/para Telavive, mas isto deve ser feito com base nos preços acordados do Terminal 1, e não nos preços do Terminal 3.”