Últimas Notícias:

Operação da KLM na Ásia e no Médio Oriente recupera totalmente este verão


 

A KLM indicou que à medida que mais países reabrem as suas fronteiras, a companhia prevê um ressurgimento cauteloso da procura dos clientes por destinos na Ásia e no Médio Oriente.

Este verão, a rede da KLM vai ser praticamente idêntica à operada em 2019. Contudo, devido à pandemia COVID-19, vão ser oferecidos menos voos para os destinos e/ou voos em combinações diferentes. A KLM oferece Riade (Arábia Saudita) como um novo destino este verão, enquanto os voos para Phuket (Tailândia) serão introduzidos no inverno. Estes destinos e regiões podem ser alcançados a partir de Lisboa ou do Porto via hub da companhia em Amesterdão-Schiphol.

A rede de destinos cumpre um papel central na estratégia da KLM. Desde o início da pandemia, a KLM continuou a operar esta rede na medida do possível, a fim de preservar a capacidade de viajar dos clientes e garantir a continuidade do transporte de carga. Esta estratégia provou ser não apenas bem-sucedida durante o curso da crise sanitária, mas facilita agora, uma vez mais, a expansão das operações.

 

Mudanças mais significativas face a 2019:

Ásia

Há 17 destinos programados para este verão, face aos 19 em 2019. Xiamen (China) mantém-se temporariamente fechado devido à pandemia COVID-19 (embora a parceira da KLM, Xiamen Airlines, esteja a voar para este destino). O serviço para Denpasar (Indonésia) vai ser oferecido assim que Bali for reaberta, o que esperamos que aconteça no final deste verão.

Phuket vai ser adicionado como destino no inverno de 2021. Os voos para a ilha tailandesa serão oferecidos quatro vezes por semana.

Por enquanto, os voos para Hangzhou e Xangai (China) vão manter a escala atual em Seul (Coreia do Sul). Assim que as regras forem alteradas, a KLM fará novos ajustes ao programa.

A KLM voa para Chengdu uma vez por semana com passageiros e carga, sendo que o voo prossegue depois para Pequim através de uma escala em Seul. Daí, a KLM transporta passageiros e carga de volta para Amesterdão.

O serviço para Bengalûru (Índia) foi suspenso.

 

Restrições específicas de viagens e requisitos de quarentena permanecem em vigor em muitos países asiáticos. À medida que a situação for mudando, também a programação na rede vai precisar de ser atualizada frequentemente ao longo do inverno.

 

Médio Oriente

No verão de 2021, a KLM vai voar para sete destinos – o mesmo número que em 2019.

KLM oferece Riade (Arábia Saudita) como novo destino, com voos a partir duas vezes por semana no verão e, a partir deste inverno, três vezes por semana.

O serviço para Abu Dhabi foi suspenso, embora a KLM ofereça este destino em codeshare com a Etihad Airways. A expetativa é que Abu Dhabi seja reintroduzido como destino no inverno de 2021, aumentando assim para oito o número de destinos.

 

É um sinal positivo que o número de destinos no Médio Oriente e no Extremo Oriente esteja praticamente a voltar ao nível anterior. Em resultado disso, os clientes podem uma vez mais contar com a extensa rede da KLM, à semelhança do que estavam acostumados a fazer. Embora este seja um passo na direção certa, ainda não chegámos lá. A vacinação é a chave para a recuperação do setor de aviação. Depois disso, um passaporte de vacinação válido internacionalmente vai ter um papel crucial na restauração da mobilidade dos nossos clientes.

Pieter Elbers, Presidente e CEO da KLM