Últimas Notícias:

NAV emite primeiras conclusões sobre a ocorrência de 26 de junho no Aeroporto Francisco Sá Carneiro


 

A NAV Portugal emitiu hoje, 5 de julho um comunicado em que confirma uma ocorrência no passado dia 26 de junho no aeroporto Francisco Sá Carneiro, entre duas aeronaves, uma chegada e uma partida na pista 35.

No âmbito da investigação em curso sob a responsabilidade do departamento de Safety & Security da NAV Portugal procedeu-se à análise factual do incidente, confirmando a normal aplicação das normas no que respeita ao número de controladores de tráfego aéreo escalados e a abertura de posições de trabalho, bem como o cumprimento dos tempos de serviço legais, tendo sido elaborado um relatório preliminar sobre a factualidade:

No momento da ocorrência encontravam-se na sala de operações três controladores de tráfego aéreo em posições executivas e um supervisor operacional, bem como outros dois operacionais em escala que, no momento da ocorrência, se encontravam no seu intervalo obrigatório de descanso.

A ocorrência decorre num cenário de tráfego de elevado volume e complexidade, correspondente a um período de pico de procura no Aeroporto Francisco Sá Carneiro, com todas as posições de trabalho possíveis abertas em operação simultânea. Existiam três movimentos de pista, uma aterragem precedente à ocorrência, a descolagem da aeronave Air Azores e a aeronave Ryanair em
aproximação. Adicionalmente, existiam 5 aeronaves no solo a entrar e sair de estacionamento, também em contacto e sob o controlo da mesma posição, de
acordo com o descritivo funcional da mesma. O relatório preliminar confirma a existência de um erro humano, porquanto não foi emitida autorização de descolagem à aeronave Air Azores, o que terá causado uma momentânea falha de perceção sobre a situação operacional.

Após a consciencialização do erro, pela intervenção do piloto da aeronave Ryanair na final, mas também de um alerta dada pelo Supervisor em turno da Torre de Controlo de Tráfego Aéreo do Porto, a recuperação foi imediata, tendo sido instruído o procedimento de aproximação falhada àquela aeronave.

A NAV Portugal sublinha está a concentrar toda a sua atenção na análise deste incidente, numa busca constante pela melhoria contínua da segurança operacional, procurando identificar a causalidade e os contributos para esta ocorrência.

Nesse sentido reuniu já no dia de ontem, 4 de julho, o Comité de Segurança da analisar o relatório preliminar, conjuntamente com a administração, tendo sido decidida como medida mitigatória do risco identificado a separação funcional da posição de gestão de chão, com responsabilidade na gestão dos movimentos nas placas de estacionamento e caminhos de circulação das aeronaves, da posição de gestão de ar e pista.

Esta separação funcional permitirá, em momentos de tráfego elevado e complexo, que o controlador de tráfego aéreo responsável por aeronaves no ar e na pista tenha a sua atenção unicamente focada nesta área de responsabilidade.

O Comité de Segurança da NAV Portugal decidiu ainda a antecipação de projetos tecnológicos já em curso, como por exemplo a melhoria de vigilância radar de solo,
cujas ferramentas associadas irão auxiliar os controladores de tráfego aéreo no desempenho das suas funções.

A NAV Portugal tem prestado toda a informação requerida pelas autoridades aeronáuticas competentes, mostrando-se naturalmente disponível para colaborar em qualquer averiguação que possa ser desencadeada com o objetivo de identificar aspetos e procedimentos para o reforço do sistema de segurança da aviação civil.

A NAV Portugal reitera ainda o seu empenho e compromisso com a segurança das suas operações, por forma a tornar o sector da aviação mais seguro, eficiente, conectado e sustentável.