Últimas Notícias:

Lufthansa converte A350-900 em ‘laboratório aéreo’

 

A Lufthansa está a converter, nos hangares da Lufthansa Technik Malta, um Airbus A350-900 de forma a que esta possa recolher e analisar dados na tropopausa a partir do final de 2021.

“Prever o tempo com maior eficiência, analisar as alterações climáticas com mais precisão, pesquisar ainda melhor como é que o mundo está a evoluir” são os objectivos desta cooperação entre a Lufthansa e uma série de instituitos de investigação.

O A350 escolhido para este projecto é o Erfurt, com a matrícula D-AIXJ e está a ser transformado para aquilo que a companhia chama de “laboratório aéreo”, com a instalação de cerca de 1,6 toneladas de material de análise de ar na sua fuselagem inferior.


O CARIBIC (Civil Aircraft for the Regular Investigation of the atmosphere Based on an Instrument Container), sistema de análise de ar, vai recolher dados na tropopausa (limite entre a troposfera e a estratosfera), acima dos 9 quilómetros de altitude.

O primeiro voo está previsto para o final de 2021 à saída de Munique.

O A350 vai analisar cerca de 100 resíduos de gáses, aerossóis e outras informações a uma altitude que permite uma maior precisão de análise do que através de sistemas com base em satélite ou no solo.

Em comunicado, a companhia destaca que é a esta altitude que se verifica a acção dos gases de efeito estufa.

A fase de planeamento desta aeronave, que contou com a colaboração de mais de 10 empresas, incluindo a Lufthansa, a Airbus, a Safran, a enviscope e a Dynatec, bem como o Karlsruhe Institute of Technology, decorreu durante quatro anos.

A título de curiosidade, a Lufthansa já tinha utilizado outras aeronaves para este tipo de pesquisa, incluindo os Airbus A340-600, A340-300 e um A330-300, sendo o Erfurt o primeiro A350-900 a ser convertido para pesquisa da Lufthansa.