Últimas Notícias:

Azul Conecta finaliza operação de verão com perspectivas de retomada


 

Artigo escrito em português do Brasil:
Em pouco mais de um mês, empresa sub-regional da Azul realizou mais de mil operações para nove dos destinos mais procurados por turistas durante o verão.

Sucesso nos voos pode estimular regiões turísticas a buscar permanência das operações em períodos de baixa temporada

A proposta era ser um projeto piloto, mas os voos de verão da Azul Conecta superaram as expectativas e viraram uma das operações mais cativantes da aviação comercial brasileira nos últimos tempos. Com as últimas frequências operadas neste domingo, 31 de janeiro, a Azul Conecta, contabiliza 1.175 voos cumpridos, que foram responsáveis por transportar Clientes desde o dia 14 de dezembro.

Voando de Porto Alegre, Santos Dumont, Congonhas, Belo Horizonte e Fortaleza, os Clientes da Azul e da Conecta puderam chegar em voos comerciais à Canela (RS), Torres (RS), Itanhaém (SP), Ubatuba (SP), Paraty (RJ), Angra dos Reis (RJ), Búzios (RJ), Guarapari (ES) e Jericoacoara (CE). A ideia inicial de fazer com que os viajantes das capitais trocassem o carro ou o ônibus pelo avião extrapolou barreiras e atingiu viajantes de todas as partes do país, que, aproveitando a conectividade da malha da Azul e da Conecta, puderam curtir alguns dias em nove dos destinos mais procurados por turistas durante o verão. Nem mesmo as dificuldades operacionais causadas por condições meteorológicas adversas atrapalharam o sucesso da operação de verão da companhia.

“Foi uma iniciativa pioneira e extremamente inovadora da Azul que operou pela primeira vez em cidades turísticas e de enorme potencial. Os números mostram que o nosso projeto deu muito certo e estimulou uma demanda até então inexistente. Ficamos muito felizes por podermos apresentar a qualidade e o diferencial do produto da Conecta para Clientes que ainda não tinham a oportunidade de experimentar esse serviço a bordo dos aviões Caravan. O ‘Verão Azul Conecta’ nos deixou muito animados, mas mostrou que a deficiência na infraestrutura de alguns aeroportos ainda é uma barreira a ser vencida para garantirmos a regularidade de nossas operações”, aponta Vitor Silva, gerente de planejamento de malha.