Últimas Notícias:

Avião militar alemão com 128 pessoas retiradas de Wuhan chegou à Alemanha


 

O avião da Força Aérea alemã que transportou mais de 100 pessoas resgatadas da cidade de Wuhan, China, devido à epidemia do novo coronavírus, chegou à Alemanha.

A aeronave aterrou no aeroporto de Frankfurt e os passageiros, 102 alemães e 26 de outras nacionalidades, serão agora examinados para determinar se têm sintomas e depois transportados para um quartel militar perto de Germersheim, onde ficarão confinados por duas semanas.

A ministra da Saúde do estado federado da Renânia-Palatinado, Sabine Bätzing-Lichtenthäler, disse em conferência de imprensa a partir da sede das forças armadas em Germersheim (oeste) que apenas as pessoas que não mostram sinais de contágio viajam no avião.

O secretário de Estado parlamentar do Ministério da Saúde alemão, Thomas Gebhart, que indicou existirem cerca de vinte menores entre os passageiros, disse que a medida de reter os repatriados no quartel de Germersheim visa “proteger os afetados, o seu ambiente e população”.

Além do território continental da China e das regiões semiautónomas chinesas de Macau e Hong Kong, há mais de 50 casos de infeção confirmados em 20 outros países – Tailândia, Japão, Coreia do Sul, Taiwan, Singapura, Vietname, Nepal, Malásia, Estados Unidos, Canadá, França, Alemanha, Itália, Reino Unido, Austrália, Finlândia, Emirados Árabes Unidos, Camboja, Filipinas e Índia.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou na quinta-feira uma situação de emergência de saúde pública de âmbito internacional (PHEIC, na sigla inglesa) por causa do surto do novo coronavírus na China.

Vários países já começaram o repatriamento dos seus cidadãos de Wuhan, uma cidade com 11 milhões de habitantes, que foi colocada sob quarentena, na semana passada, com saídas e entradas interditadas pelas autoridades durante período indefinido.

A quarentena foi, entretanto, alargada a mais quinze cidades, próximas de Wuhan, afetando, no conjunto, mais de 50 milhões de pessoas.

Nos últimos dias, diversas companhias suspenderam as ligações aéreas com a China. Rússia, Coreia do Norte e Vietname encerraram as fronteiras com o país, enquanto alguns países pararam de emitir vistos para cidadãos chineses.